Pesquisar
Close this search box.

Xica Manicongo, primeira travesti negra do Brasil, é homenageada em 4ª Festa Literária Noroeste

O evento busca reconhecer e potencializar o trabalho de pessoas LGBTQIAPN+ na literatura e nas artes em geral, com o tema “Corpografias”; veja a programação
Ilustração mostra Xica Manicongo. Xica é uma mulher negra de pele escura, com roupas coloridas e adereços no cabeça.

Foto: Reprodução

17 de novembro de 2023

Os coletivos e bibliotecas da região noroeste de São Paulo realizam, de 20 a 26 de novembro, a 4ª edição da Festa Literária Noroeste (FLINO). Neste ano, o evento busca reconhecer e potencializar o trabalho de pessoas LGBTQIAPN+ na literatura e nas artes em geral, com o tema “Corpografias”.

Brenda Lee, travesti e importante ativista contra o preconceito e pioneira no acolhimento de pessoas LGBTQIAPN+ em São Paulo, será a grande homenageada desta edição. Brenda foi assassinada em 1996, mas seu legado continua vivo e reverberando nos tempos de hoje e na luta contra a LGBTQIAPN+fobia. Também serão destaques: Priscila Diva, mulher travesti do bairro de Perus assassinada de maneira violenta em 2021; e Xica Manicongo, considerada a primeira mulher travesti negra do Brasil.

“Entendemos a importância de visibilizar todas as pessoas artistas e produtoras culturais LGBTQIAPN+ das periferias e toda a potência de seus trabalhos. O preconceito e a LGBTQIAPN+fobia ainda são muito presentes em todos os lugares e, infelizmente, não é diferente nas periferias. É preciso levar informação a todas as gerações, das crianças aos adultos, para que a luta seja mais efetiva. Entendemos que a literatura e as demais expressões artístico-culturais são ferramentas que dialogam e criam afeto”, aponta a equipe de organização da FLINO.

Com uma programação multicultural, o evento contará com mais de 20 atrações, incluindo oficinas, rodas de conversa, saraus, contação de histórias, batalha de rimas, espetáculos teatrais, shows musicais e outras atrações. 

4ª Festa Literária Noroeste

Depois de três edições, que impactaram milhares de pessoas nas periferias, a FLINO deste ano continua reforçando a importância da união dos espaços públicos – como bibliotecas e escolas – com os movimentos sociais e coletividades artísticas que fomentam a leitura, a literatura e história oral por meio de suas inúmeras atividades.

Inspirada em festas literárias que acontecem em outros bairros periféricos, como a Fligraja (Festa Literária do Grajaú), Flipenha (Festa Literária da Penha) e a Felizs (Festa Literária da Zona Sul), a 4ª edição continua mostrando a potência das histórias para as populações periféricas, com um tema extremamente importante, que é a diversidade e inclusão LGBTTQIAP+. Neste ano, a festa também foi organizada junto a um conselho formado por pessoas, coletivos e organizações que fomentam a literatura na região.

“Além da promoção do livro e da leitura, o objetivo da festa é fortalecer a cena cultural e literária da região. Outro objetivo ainda é reforçar a importância dos movimentos negro, indígena, feminino, LGBTQIAP+, por meio de uma programação que reflita as potências desses grupos, historicamente excluídos da cena literária brasileira”, pontua a organização da festa.

A abertura acontece na segunda-feira (20), no Fofão Rock’n Bar, na Parada de Taipas, a partir das 20h, com fala de abertura de Maysa dos Santos – gogo trans e performista, atendente, que irá refletir sobre os desafios das mulheres trans e travestis nos territórios periféricos e também rememorar a trajetória de Priscila Diva. Depois, é a vez do Sarau Segunda Negra entrar em cena, às 20h, para celebrar 7 anos de existência no Dia da Consciência Negra com a presença do projeto Metaleiras Negras, que reflete sobre mulheres negras na cena do rock.

Já na terça-feira (21), a partir das 20h, no CIEJA Perus, acontece a mesa de bate-papo “Brenda Lee: memória e resistência trans”, com participação de Katheryne Macoppi, do Coletivo de Saúde Mental, Acolhimento e Biblioterapia TRANSLUZIR; Natan, representante do projeto Bajubá, que realiza registros de memórias LGBTQIAP+ brasileiras; e mediação de Marcia Marci, comunicadora, idealizadora da Travas da Sul Rede Sociocultural, e coautora de “Crônicas Coiote” (Padê Editorial).

Na quarta-feira (22/11), a partir das 20h, na Biblioteca Brito Broca, em Pirituba, Girlei Miranda e Wesley MP, artistas da música e da palavra respectivamente, dialogam sobre a importância da intersecção gênero e raça nas periferias. A mediadora será a cantora e multiartista Caetana, mulher trans, preta, nordestina e de axé. Nesse dia, também recordamos a importância de Xica Manicongo, considerada a primeira mulher travesti negra do Brasil.

Na quarta-feira (22), quinta-feira (23) e sexta-feira (24), as bibliotecas públicas da região – Padre José de Anchieta e Brito Broca – trazem diversas atividades, gratuitas e abertas, voltadas às crianças, adolescentes e suas famílias, buscando falar sobre diversidade e inclusão de maneira lúdica (Confira os horários abaixo). São atividades como oficinas de slam e contações de história. Ainda na quinta, o dia termina com o Sarau Elo da Corrente, no Bar do Santista, em Pirituba, e o lançamento do livro “Ásperas texturas de uma mulher oculta”, de Susana Córdoba.

Já na sexta-feira (24), a partir das 19h, a Comunidade Cultural Quilombaque recebe o Cine Sapatão. Em seguida, às 20h, acontece o Sarau d’Quilo. E às 21h acontece a Batalha da Encruzilhada, batalha de rimas formada majoritariamente por pessoas LGBTQIAPN+ da região noroeste de SP.

No sábado (25), a programação fica por conta do Espaço Cultural Morro Doce, no Morro Doce. A partir das 15h, o espaço terá brincadeiras criativas e contações de histórias para crianças. Em seguida, acontece roda de conversa sobre mercado de trabalho para pessoas LGBTQIAP+. Às 20h, é a vez do Sarau da Brasa e, às 21h, com lançamento do livro “Histórias que nenhuma mulher deveria saber contar”, de Ana Paula de Oyá e apresentação de “Uma Luiza”.

No último dia da FLINO, domingo (26), acontecem diversas atividades na Comunidade Cultural Quilombaque, em Perus. Uma delas é a Feira de Livros, com diversas pessoas expositoras, e também feira de artesanato, flash tattoo e expositores de vestuário. A DJ Evelyn Cristina agita o dia, das 14h às 19h. Haverá brincadeiras e contação de histórias ao longo de todo o dia para as crianças. E várias performances e apresentações musicais e de dança, com Mari Moura, Toquinha, Luna STS e encerramento com show de Ayo Tupinambá.

Confira a programação completa

1º DIA |  20/11 | SEGUNDA-FEIRA

19h | Abertura da 4ª edição da FLINO
20h | Maysa dos Santos| Local: Fofão Rock Bar
21h | Sarau Segunda Negra celebra 7 anos no Dia da Consciência Negra + Metaleiras Negras | Local: Fofão Rock Bar 

2º DIA |  21/11 | TERÇA-FEIRA

20h | Mesa de bate-papo Brenda Lee: memória e resistência trans |  Local: CIEJA PERUS

3º DIA | 22/11| | QUARTA-FEIRA
14h | Oficina de bordado com Meio Fio | Local: Biblioteca Brito Broca

20h | Mesa de bate-papo Xica Manicongo: racialidades LGBTQIAP+ | Local: Biblioteca Brito Broca

4º DIA | 23/11| | QUINTA-FEIRA

10h | Contação de história “Pulu o pretinho que pulava longe”  | Local: Biblioteca Pública Municipal Brito Broca

09h | Oficina de Slam – Slam do Pico  | Local: Biblioteca Pública Municipal Pe. José de Anchieta

14h | Contação de História com Juá Pytã | Local: Biblioteca Municipal Brito Broca
14h | Oficina de bordado com “Meio Fio” | Local: Local: Biblioteca Pública Municipal Brito Broca
21h | Sarau Elo da Corrente |  Local: Bar do Santista 

5º DIA | 24/11 | | SEXTA-FEIRA

09h | Contação de história “Pulu o pretinho que pulava longe”  | Local: Biblioteca Pública Municipal Pe. José de Anchieta

10h | Oficina de Slam – Slam do Pico  |  Local: Biblioteca Municipal Brito Broca

14h | Contação de História com Juá Pytã | Local: Biblioteca Pública Municipal Pe. José de Anchieta
19h30 |Cine Sapatão com Ferro’s Bar | Local: Comunidade Cultural Quilombaque

20h | Sarau D’Quilo | Local: Comunidade Cultural Quilombaque 

21h | Batalha da Encruzilhada | Local: Comunidade Cultural Quilombaque 

6º DIA |  25/11 | SÁBADO

10h | Oficina de biojoias Brincas de Pammy | Local: CIEJA PERUS

15h | Brincadeiras Criativas + Contação de histórias | Centro Cultural Morro Doce

20h | Sarau da Brasa + “Histórias que nenhuma mulher deveria saber contar”, de Ana Paula de Oyá | Local: Espaço Cultural Morro Doce

21h | Apresentação de Uma Luiza | Local: Espaço Cultural Morro Doce


7º DIA |  26/11 | DOMINGO

Dia todo | Feira de Livros | Local: Comunidade Cultural Quilombaque

14h às 19h | DJ Evelyn Cristina

14h às 21h | Brincadeiras Criativas + Contação de histórias | Comunidade Cultural Quilombaque
Performance de Mari Moura | Local: Comunidade Cultural Quilombaque

Performance de Eduardo Guimarães | Local: Comunidade Cultural Quilombaque
Performance de AriEX | Local: Comunidade Cultural Quilombaque
Street Dance com Toquinha | Local: Comunidade Cultural Quilombaque
Performance de Luna STS | Local: Comunidade Cultural Quilombaque

Show de Ayo Tupinambá | Local: Comunidade Cultural Quilombaque

Serviço
Quando: de 20/11 a 26/11
Onde:
Fofão Rock’n’bar
–  Estr. das Taipas, 3827, Parada de Taipas
CIEJA PERUS –  R. Francisco José de Barros, 160, Perus
Biblioteca Municipal Brito Broca – Av. Mutinga, 1425, Pirituba
Biblioteca Municipal Padre José de Anchieta – R. Antônio Maia, 651, Perus
Espaço Cultural Morro Doce – R. dos Vitoriosos, 63, Morro Doce
Comunidade Cultural Quilombaque – Travessa Cambaratiba, 5, Perus

  • Redação

    A Alma Preta é uma agência de notícias e comunicação especializada na temática étnico-racial no Brasil.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano