Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Campanha de conscientização sobre HIV desvenda mitos sobre a condição

A produção apresenta diversidade de pessoas que vivem com o HIV em uma série de três episódios
Homem negro retinto veste uma camisa branca e segura fita vermelha, símbolo do combate a AIDS.

Foto: iStock

7 de dezembro de 2023

Em uma série de vídeos produzidos pela TODXS, organização sem fins lucrativos dedicada à promoção da cidadania e do protagonismo de pessoas LGBTI+, são desvendados mitos sobre o HIV. A campanha “TODXS contra a sorofobia”, lançada em dezembro, pretende conscientizar e amenizar preconceitos e discriminação contra pessoa que vivem com a condição.

Em referência ao Dia Mundial de Luta contra a AIDS, a iniciativa é composta por uma sequência de três vídeos com pessoas que vivem com o vírus e posts informativos para aumentar a conscientização, combater estigmas e promover uma conversa mais humanizada sobre o HIV.  

Com a participação de pessoas influenciadoras e engajadas na conscientização sobre o vírus, os vídeos abordam quatro mitos comuns relacionados a diferença entre HIV e AIDS; o que significa ser indetectável e intransmissível; o estigma de que apenas a comunidade LGBTI+ vive com o vírus; e o direito ao sigilo médico, ou seja, da pessoa que vive com HIV não precisar tornar público o seu status.

Para o co-diretor executivo da iniciativa, Daniel Kehl, o combate a preconceitos e discriminação deve estar aliado a educação e a disseminação de informações, afeto e igualdade, além da curaçao de espaços de acolhimento para discussões abertas sobre o tema.

“Combater a sorofobia, em especial quando direcionada à população LGBTI+, requer um esforço coletivo baseado na informação, afeto e promoção da igualdade. É fundamental desafiar estigmas e estereótipos relacionados ao HIV/AIDS, reconhecendo que a soropositividade não define o valor de uma pessoa. Devemos fortalecer campanhas educativas que destaquem a transmissão real do vírus e, assim, dissipar mitos prejudiciais. Além disso, a criação de espaços seguros e acolhedores para discussões abertas sobre saúde sexual, bem como o acesso equitativo a serviços de saúde, são passos cruciais”, afirma.

A campanha é narrada por Vitor Ramos, um homem gay que chegou a ser diagnosticado com AIDS pela demora no diagnóstico do HIV; Adriano Lopes homem heterossexual que está em um relacionamento sorodiferente (quando um dos parceiros é positivo para o HIV e o outro não); e Lua Mansano a primeira travesti selecionada pelo LinkedIn como Top Voice Carreiras em 2022.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 152

EP 151

Cotidiano