Pesquisar
Close this search box.

Circuito une mulheres percussionistas negras e indígenas

loia_fernandes_por_Angelo_Rosario_tamboreira-1

1 de fevereiro de 2021

Inscrições podem ser realizadas gratuitamente até o dia 8 de fevereiro; as selecionadas terão oficinas de ritmos percussivos afro-brasileiros e xamânicos, cantigas e expressões corporais

Texto: Flávia Ribeiro | Edição: Nataly Simões | Imagem: Angelo Rosário

O Primeiro Circuito Tamboreira Percussiva está com inscrições abertas até o dia 8 de fevereiro. Mulheres negras e indígenas do Nordeste e de outras regiões do Brasil podem se inscrever gratuitamente para o evento, que tem o objetivo de fortalecer a rede entre mulheres percussionistas, apropriadoras dos tambores, e mostrar o instrumento como expressão de força e poder.

Idealizado por Loiá Fernandes, percussionista, produtora audiovisual, arte educadora e atriz, o circuito será realizado entre os dias 3 e 7 de março. As selecionadas participarão de oficinas como maracá e cânticos indígenas; atabaque com ritmos e cânticos umbandistas; ritmos nordestinos com o pandeiro; ritmo enquanto produção de sentidos, dentre outras.

O único critério para seleção é, primeiramente, a indicação racial, ou seja, ser mulher negra ou indígena. A avaliação racial será por meio da fotografia anexada ao formulário de inscrições. Além disso, serão levadas em consideração as condições de vulnerabilidade que inviabilizam o acesso à arte e à cultura.

Devido a pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, a programação será realizada em formato virtual, em plataformas online (Zoom, Youtube e Instagram). Cada oficina contará com o número médio de 20 participantes.

“O Circuito nasce de uma perspectiva unificadora e intercultural, baseado na pluriversalidade, considerando a necessidade de fomentar a atuação das mulheres no segmento de instrumentação percussiva, tendo como princípio fundamental as raízes culturais dos tambores africanos e dos povos originários”, comenta a idealizadora.

O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, do governo federal.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano