Pesquisar
Close this search box.

Espetáculo inspirado em obra de Bell Hooks retorna a São Paulo com apresentações gratuitas

"Amor e outras Revoluções" retrata os afetos e desafios que existem no subúrbio
As atrizes Tati Villela e Mariana Nunes, protagonistas da peça “Amor e outras Revoluções”.

Foto: Divulgação

30 de junho de 2024

Sucesso de público e crítica na passagem por São Paulo, o espetáculo “Amor e outras Revoluções”, da atriz e dramaturga Tati Villela, retorna à capital paulista com apresentações gratuitas durante o mês de julho em espaços descentralizados.

Inspirada no texto ‘’Vivendo de amor’’, de Bell Hooks, a trama conta a história de Aynah e Luzia, que estão de casamento marcado, mas ainda têm dúvidas se estão preparadas para dar esse passo. Uma viagem em suas próprias histórias ocupa o centro da cena e as fazem iniciar suas verdadeiras revoluções a respeito do amor e da falta dele. 

“Nossa peça toca amores distintos, não somente amores negros. Não estamos deixando de lado as questões raciais, estamos apenas mudando o ponto de vista para falarmos sobre amor”, conta Tati Villela em nota à imprensa. Além de assinar o texto, a dramaturga atua ao lado de Mariana Nunes.

“As protagonistas enfrentam dilemas comuns a qualquer casal. Por isso, as pessoas saem muito tocadas do espetáculo”, afirma Mariana. A personagem dela, Luzia, por exemplo, está vivenciando uma fase difícil da carreira. Ela faz um doutorado em Ciências Sociais e Políticas Públicas, mas naquele momento não ganha nenhuma bolsa e, por isso, está sem renda.

Por meio deste trabalho, a autora também pretende dar protagonismo aos afetos que existem no subúrbio. “Eu tive uma infância muito amorosa e isso se reflete em quem eu sou hoje. Quero que as pessoas vejam como o amor também se instala no cotidiano da periferia”, completa Tati Villela. 

As apresentações estão programadas para os seguintes dias e locais: 03/07 às 21h no Teatro Paulo Eiró, 05/07 às 20h no Itaú Cultural, 06/07 às 20h no Teatro Flávio Império, 10/07 às 19h no Centro Cultural Olido, 14/07 às 19h no Centro Cultural da Diversidade, e 24/07 às 21h no Teatro Alfredo Mesquita.

Os ingressos devem ser retirados uma hora antes do espetáculo. Para mais informações, acesse as redes sociais da peça.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos