Olimpíadas 2024

Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Nome de Carolina Maria de Jesus será incluído no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria

Projeto de Erika Hilton visa reconhecer e celebrar a contribuição da multiartista para a cultura brasileira
Na foto, Carolina Maria de Jesus toca violão para duas crianças, que a observam em pé. O registro foi realizado em 1960.

Foto: Arquivo / Instituto Moreira Salles

12 de junho de 2024

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou na semana passada o Projeto de Lei que inclui o nome da escritora Carolina Maria de Jesus no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria.

O projeto, apresentado pela deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) e relatado pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ), visa reconhecer e celebrar a significativa contribuição de Carolina Maria de Jesus para a literatura e a cultura brasileira.

A honraria, criada em 1992, é concedida a personalidades que tiveram papel fundamental na defesa ou na construção do país. No memorial, no Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, figuram nomes como Zumbi dos Palmares, Maria Beatriz Nascimento, Luiz Gonzaga e Dandara dos Palmares.

Nas redes sociais, Erika Hilton celebrou a aprovação do projeto. “Viva Carolina Maria de Jesus! Viva a literatura preta, pobre e periférica brasileira!”, escreveu.

Quem foi Carolina Maria de Jesus

Renomada escritora, compositora e poetisa, Carolina se consagrou como uma das principais escritoras do Brasil. Seu livro “Quarto de Despejo: Diário de Uma Favelada” (1960), é um clássico da literatura nacional, foi traduzido para 13 idiomas e publicado em mais de 40 países.

Carolina faleceu em fevereiro de 1977, quando tinha 62 anos. Ao longo de sua trajetória, a autora também lançou mais três livros: “Casa de Alvenaria” (1961), “Pedaços de Fome” (1963) e “Provérbios” (1963). Além disso, foi multiartista, cantora e escritora de contos, crônicas, letras de música e peças de teatro. 

Um ano após lançar o livro “Quarto de Despejo”, Carolina de Jesus interpretou a própria obra em 12 composições autorais que integram o álbum homônimo, lançado pela RCA Victor. 

Em celebração aos 110 anos de nascimento da artista, o Instituto Moreira Salles lançou um site para homenagear a autora, a página se organiza em quatro seções: Biografia, Obras, Arquivo Vivo e Encontros. 

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano