Pesquisar
Close this search box.

Em visita a Portugal, ministra Anielle Franco assina cooperação de combate ao racismo

Assinatura de memorando e encontros com autoridades portuguesas marcam agenda da ministra da Igualdade Racial em Lisboa
Anielle Franco, durante o lançamento do Plano de Ação do Pacto Nacional de Prevenção aos Feminicídios e Programa Asas pro Futuro no evento Março das Mulheres. Entre os dias 25 e 26 de junho, a ministra cumpre agenda de combate ao racismo em Portugal.

Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

25 de junho de 2024

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, iniciou nesta terça-feira (25) uma agenda de compromissos em Portugal. Um deles é  a assinatura de um memorando de cooperação com o Observatório do Racismo e Xenofobia, com o objetivo de promover a cooperação em temas de interesse comum entre Brasil e Portugal, como a promoção da igualdade racial, o combate ao racismo e outras formas de intolerância, além do intercâmbio de boas práticas.

Durante a visita ao país europeu, o Ministério da Igualdade Racial também busca estabelecer diálogos com o governo português por meio de encontros com autoridades e tomadores de decisão. Um dos compromissos previstos é uma reunião com a ministra da Juventude e Modernização, Margarida Balseiro Lopes. A pasta da ministra é responsável pelo programa “Tens Futuro em Portugal”, similar ao Plano Juventude Negra Viva, do governo brasileiro.

Programação

Nesta terça-feira (25), às 16h30, Anielle Franco terá uma reunião com Raimundo Carreiro, Embaixador do Brasil em Portugal, seguida de um encontro às 18h com Margarida Balseiro Lopes, ministra da Juventude e Modernização.

No dia 26, às 10h30, a ministra participará do painel “ESG e Sustentabilidade Corporativa” no XII Fórum Jurídico de Lisboa. Às 15h30, será realizada a assinatura do Memorando de Entendimento entre o Ministério da Igualdade Racial do Brasil e o Observatório do Racismo e Xenofobia de Portugal, evento que ocorrerá na Sala do Conselho Científico da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, no Campus Universitário de Campolide. Logo após a assinatura, às 15h45, Anielle Franco concederá uma entrevista coletiva à imprensa.

Presidente português sugere reparação ao Brasil

Durante as celebrações do 50º aniversário da Revolução dos Cravos, que marcou o fim de 48 anos de ditadura em Portugal, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa admitiu em público a responsabilidade histórica de Portugal pelos crimes cometidos contra africanos escravizados, povos indígenas e pelo saque de bens no Brasil durante a era colonial. A declaração ocorreu em 23 de abril, durante um jantar com jornalistas estrangeiros.


No entanto, parlamentares da Aliança Democrática (AD), uma coalizão de centro-direita que governa atualmente o país, negou a fala do Presidente e considerou a colocação como um ato de “traição”. Ainda assim, o Rabelo de Souza reforçou sua fala e afirmou que Portugal não pode colocar a responsabilidade debaixo do tapete ou na gaveta.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano