Pesquisar
Close this search box.

Movimento do Hip Hop gaúcho cria programa de reconstrução para vítimas das chuvas no RS

Programa vai atender centenas de pessoas com auxílio financeiro, distribuição de cestas básicas, suporte psicológico e reconstrução de espaços culturais
Foto mostra a fachada da Casa da Cultura Hip-Hop, na cidade de Esteio (RS).

Foto: Reprodução / ACHE

20 de junho de 2024

Com o objetivo de restabelecer a vida de artistas, espaços culturais, coletivos e comunidades periféricas atingidas pelas enchentes do Rio Grande do Sul, a Associação do Hip-Hop de Esteio (ACHE) divulgou o lançamento de iniciativa que promoverá suporte financeiro, alimentar e psicológico para centenas de pessoas.

Com o Programa Reconstrução Hip-Hop, serão distribuídas cestas básicas para 200 famílias durante seis meses. As entregas terão início na segunda quinzena de junho e se destinam aos moradores dos bairros Novo Esteio, Vila Osório e São Sebastião.  

Gerida pela ACHE, a Casa da Cultura Hip-Hop de Esteio vai doar R$ 300,00 em parcela única para 100 artistas esteienses, através do Vale Cultura Hip-Hop. Além do auxílio financeiro, a proposta visa fomentar a economia da moda e da arte.

“Vamos conveniar espaços da cultura hip-hop, lojas de streetwear, estúdios, eventos e shows, para que os artistas atingidos tenham esse recurso, e que os espaços voltados ao hip-hop comecem a retomar suas atividades por meio desse incentivo”, conta o coordenador geral da ACHE, Rafa Rafuagi, em nota à imprensa.

Em parceria com a Escola de Psicanálise Americana, a associação ainda irá oferecer atendimento com psicanalistas para 100 pessoas engajadas na cena cultural do hip-hop na cidade. Os participantes das três ações serão selecionados por meio de formulários, disponibilizados nas redes sociais do projeto.

Para apoiar a retomada das atividades nos centros culturais afetados pelas chuvas, a instituição contribuirá com R$ 10 mil destinados à revitalização de dez espaços de cultura hip-hop. Até o momento, foram selecionados o Boom Rap, Conceito Arte, Casa da Cultura Hip-Hop de Esteio, ONG Vida Breve, Galpão do hip-hop São Leopoldo, Vila Flores e Ateliê Vivências de Santa Cruz.

A reconstrução dos espaços será subsidiada pelos valores doados na campanha do pix solidário. Já a distribuição de alimentos foi viabilizada por meio de recursos arrecadados com a bilheteria do show beneficente do rapper BK, no Circo Voador. 

O Museu da Cultura hip-hop, também gerido pela ACHE, já registrou a distribuição de mais de 250 toneladas de alimentos. As doações foram adquiridas em uma articulação com o festival Rap In Cena, que contou com a participação de grandes nomes do rap nacional.

  • Verônica Serpa

    Graduanda de Jornalismo pela UNESP e caiçara do litoral norte de SP. Acredito na comunicação como forma de emancipação para populações tradicionais e marginalizadas. Apaixonada por fotografia, gastronomia e hip-hop.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos