Pesquisar
Close this search box.

Rio seleciona arquitetos negros para projeto do novo centro cultural Rio-África

Novo museu na Pequena África busca valorizar memória e cultura afro-brasileira, com arquitetos negros brasileiros e africanos
Imagem da inauguração do concurso que escolherá o projeto do novo centro cultural Rio-África que será inaugurado na região da Pequena África, próximo do Cais do Valongo, no Rio de Janeiro.

Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

5 de julho de 2024

A Prefeitura do Rio de Janeiro e o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) lançaram um concurso para selecionar projetos arquitetônicos para o novo Centro Cultural Rio-África. O museu será instalado no antigo prédio da maternidade Pró-Matre, na região da Pequena África, próximo ao histórico Cais do Valongo, na Zona Portuária da cidade.

Serão distribuídos R$ 105 mil aos três primeiros colocados, e o vencedor será contratado para desenvolver o projeto, estimado em cerca de R$ 30 milhões. O concurso é exclusivo para arquitetos negros brasileiros e africanos de língua oficial portuguesa, membros do Conselho Internacional de Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP), incluindo profissionais de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

O Cais do Valongo, ponto de chegada de mais de 1 milhão de pessoas escravizadas, abrigará o novo Centro Cultural, que tem como objetivo divulgar o conhecimento histórico, personagens e desenvolvimento urbano da região. Além disso, o espaço promoverá a arte contemporânea afro-brasileira e afro diaspórica.

“Vamos pegar essa maternidade e fazer um museu, o espaço da memória africana aqui no Rio de Janeiro. Aquele museu que tem em Washington, vamos fazer o daqui mais bonito, raiz, muito melhor. Isso aqui é Brasil”, declarou o prefeito Eduardo Paes durante o anúncio do concurso. Ele enfatizou a importância de expor as desigualdades e feridas históricas do Brasil para promover a correção de injustiças.

O concurso será dividido em quatro fases, começando com a pré-produção em junho. As inscrições estarão abertas até 30 de agosto, com envio das propostas até 30 de setembro.Os projetos devem considerar várias linhas de pesquisa e formação de acervo para o Centro Cultural Rio-África, incluindo Memória, História e Cultura dos que passaram e viveram na região; Arte afro-brasileira; Presença cultural afro-brasileira nas manifestações culturais; e Território, destacando as transformações espaciais da zona portuária.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos