Pesquisar
Close this search box.

Carla Akotirene lança livro sobre racismo no sistema judicial em Salvador

Na visão da autora, encarceramento em massa deve ser encarado como um dos maiores desafios do abolicionismo contemporâneo
Imagem mostra um painel com a divulgação do livro “É Fragrante Fojado Dôtor Vossa Excelência”, de Carla Akotirene.

Foto: Divulgação / Editora Civilização Brasileira

27 de fevereiro de 2024

A escritora Carla Akotirene, mestra e doutora em Estudos de Gênero, Mulheres e Feminismos, lança oficialmente nesta quarta-feira (28) o livro “É Fragrante Fojado Dôtor Vossa Excelência”, na Academia de Letras da Bahia, em Salvador, às 18h.

A obra publicada pela editora Civilização Brasileira é um trabalho pioneiro no campo do direito processual. O livro é fruto da tese de doutorado de Akotirene, na qual a consultora em Políticas Antirracistas analisa a porta de entrada do encarceramento em massa no Brasil.

“É Fragrante Fojado Dôtor Vossa Excelência” concentra as principais críticas de Carla Akotirene aos aparelhos jurídicos brasileiros, representados no livro pela Vara de Audiência de Custódia do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. 

Na obra, a autora explica que as audiências de custódia são uma oportunidade para as pessoas presas em flagrante delito manifestarem os motivos da detenção e as condições de tratamento a que são submetidas pelas forças policiais e judiciais. 

Esse tipo de audiência é um direito previsto em lei e, em tese, deveria resguardar a oportunidade de autodefesa da pessoa acusada de crime. No entanto, na realidade, elas são definidoras dos números extravagantes de encarceramento da população negra no Brasil.

Com pouca margem para exercerem a autodefesa e muitas vezes mal instruídas sobre seus direitos, muitas dessas pessoas são fichadas e marcadas pelo sistema prisional por meio de provas plantadas, ou seja, flagrantes forjados.

Na visão da autora, a prisão é o próprio racismo, e o racismo é colonial. Libertar a população negra do encarceramento em massa deve ser encarado como um dos maiores desafios do aboliconismo contemporâneo, uma vitória a ser conquistada pelo movimento negro, revela o livro. 

O evento em Salvador inclui uma sessão de autógrafos com Carla Akotirene e um bate-papo com a promotora de justiça Livia Vaz e o advogado criminalista Marinho Soares. São Paulo também receberá um encontro similar na Livraria Megafauna, no dia 14 de março.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos