Pesquisar
Close this search box.

Câmara adia debate sobre reparação à população negra por escravidão

Adiamento ocorre em meio à dispensa de registro biométrico para festividades de São João
Imagem de uma sessão vazia da Câmara dos Deputados. Os parlamentares foram liberados durante esta semana de registrar presença devido ao período das festas juninas de São João. Na ocasião, seria feita uma audiência sobre reparação à população negra por escravidão.

Foto: Lula Marques/ Agência Brasil

25 de junho de 2024

O Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados (Cedes) adiou o debate agendado para esta terça-feira (25) que trataria da responsabilidade estatal e a reparação à população negra pelos crimes da escravidão e do racismo. 

A audiência tinha como objetivo analisar o impacto histórico da escravidão sobre a população afro-brasileira, avaliar as responsabilidades do Estado em corrigir as desigualdades resultantes desse período, discutir formas de reparação como compensações financeiras e ações afirmativas, além de explorar políticas para combater o racismo enraizado nas instituições brasileiras.

Segundo informações do Estadão, a assessoria da Câmara dos Deputados informou que o adiamento se deu em razão do Ato de Mesa 194/2024, que dispensou o registro biométrico presencial dos deputados entre os dias 24 e 28 de junho. A medida foi tomada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), para permitir que os parlamentares pudessem participar das festividades de São João, tradicionalmente celebradas especialmente no Nordeste do Brasil.

Festas juninas esvaziam agenda no Congresso Nacional

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), liberaram os parlamentares de registrar presença no Congresso Nacional durante esta semana, em decorrência das festividades de São João.

Inicialmente destinada aos parlamentares do Nordeste, a dispensa de registro gerou críticas de deputados de outras regiões, que questionaram a falta de isonomia na decisão. Diante das reclamações, a medida foi estendida a todos os parlamentares, permitindo a participação nas celebrações tradicionais.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos