Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

MDS e DataSenado se unem para desenvolver novo indicador de fome e pobreza no Brasil

Iniciativa visa realizar estudos de campo com a população de rua para complementar dados do IBGE relacionados à pobreza
A imagem mostra uma casa na periferia. O Brasil havia saído do mapa da fome em 2014, mas retornou em 2015, situação que se agravou a partir de 2020, com a pandemia.

Foto: Agência Brasil

30 de janeiro de 2024

O Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e o Instituto de Pesquisa DataSenado estabeleceram uma parceria com o objetivo de criar um indicador mais preciso para medir a fome e a pobreza no Brasil. 

A iniciativa surge da percepção de que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), embora avalie aspectos como saúde, educação e renda, não é sensível o suficiente para captar as complexas realidades das desigualdades sociais brasileiras.

Segundo nota ministerial, o MDS está envolvido na definição de parâmetros para avaliar e medir o impacto das políticas governamentais contra a fome e para acompanhar as condições socioeconômicas da população. O DataSenado já havia iniciado estudos sobre o índice em 2023, a pedido da Comissão de Direitos Humanos (CDH), presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS). Ao saber do projeto semelhante do MDS, o instituto propôs a colaboração.

Além do indicador, o grupo pretende complementar os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relacionados à pobreza, por meio do DataSenado, e realizar estudos de campo com a população de rua. A equipe também deverá avaliar a eficácia das políticas públicas do MDS e buscar parcerias com outros órgãos envolvidos no combate à fome e à desigualdade.

O objetivo é fornecer dados para auxiliar o poder público no planejamento e na execução de políticas de apoio aos brasileiros vulneráveis com base em informações precisas.

O coordenador do DataSenado, Marcos Ruben de Oliveira, destaca em nota que o instituto possui conhecimento e tecnologia para abordar temas complexos, como a fome no país. Ele menciona que utilizarão dados oficiais publicamente disponíveis, além de dados custodiados pelo MDS. Quando necessário, o instituto utilizará sua experiência de 20 anos em pesquisas para coletar dados diretamente da população-alvo de políticas de amparo a pessoas vulneráveis.

Nas próximas semanas, o trabalho se concentrará na avaliação das políticas públicas de combate à fome, conforme previsto em anúncio do MDS, começando pelo levantamento de dados das pessoas inscritas no Cadastro Único, que é fundamental para quase 40 programas sociais do Governo Federal.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 152

EP 151

Cotidiano